Contemplar

“Contemplar: o quanto contém de si
Do olhar no objeto à desejar-te
Sem que o mesmo perceba
E devolva-lhe o olhar
num simples doar”

Anúncios

Ócio Criativo – O Trabalho Dignifica o Homem

A velha expressão: “O trabalho dignifica o homem”. Tem seu devido valor, não há sombra de dúvida, e nem mesmo o homem na sombra e água fresca poderia por em check tal ditado.

Oposto do ditado acima, trata-se o Ócio, e por que não criativo? Com certeza o que grandes pensadores da idade média defendiam com unhas e dentes, era o seu devido direito ao ócio. René Descartes nascido em 31 de março de 1596, na cidade de La Haye, uma pequena província da Holanda do Sul, foi um grande praticante do ócio criativo.

Ócio Criativo - O Trabalho Dignifica o Homem

Ócio Criativo – O Trabalho Dignifica o Homem

Conta a história que, Descartes não era chegado ao trabalho e habitualmente acordava tarde todos os dias. Contudo, tornou-se o pai do Cartesianismo e revolucionou o modo como pensamos, até os dias atuais.

Vale mencionar que até mesmo Sigmund Freud: o pai da psicanálise. Fez menção ao nosso merecido descanso popularmente conhecido como sono, e que justamente nesse momento tão aconchegante, lançamos mão de toda nossa criatividade escondida e literalmente aprendemos com ele.

“Vamos imaginar o melhor dos dois mundos: idealizadores e realizadores. Cada qual com seu devido lugar e valor. Transformar e inovar é a mola propulsora do desenvolvimento e da passagem dos tempos”.

Referências Bibliográficas: “Ócio Criativo” Domenico De Masi e “Descartes em 90 minutos”. Paul Strathern.

Blue Moon

Imagem

Elvis PresleyBlue Moon

MidiaModel
Photo by Daniel Pastor

 

“Tornar um momento Eterno…
Futuro, Presente e Passado
Sob o olhar atento
De quem não tem mais, tempo”.

Redes Sociais – Palanque do Povo

As redes sociais se transformaram no palanque do povo. O que tratava-se de vitrine para ver e ser visto ou no sentido da palavra expor a figura. Atualmente configura o cenário dos movimentos sociais impulsionados pelas redes, o qual tem se demonstrado cada vez mais um verdadeiro showmício, o que temos observado é a volta dos tempos, literalmente o retorno do conhecido: pão e circo.

MidiaModel

Redes Sociais – Palanque do Povo

Desde a criação da web 2.0 e todas as ações de marketing relacionadas a mídia digital e a rede, o que ficou muito claro aos idealizadores e planejadores da web, é a questão da mesma tratar-se de uma ferramenta de suporte para outras mídias. O que nos leva a entender que: “uma andorinha só não faz verão”. Ao mesmo passo que um monte delas sem foco e direção também não chegam a lugar algum.

Todo esse movimento e articulação carrega uma ideologia muito interessante e comercialmente bem vista aos olhos das mídias em geral. Mas escondem o real motivo do qual o povo deveria estar atento e preocupado: continuamos sendo guiados e influenciados por movimentos de cunho partidário. Desviar o foco do público é o principal objetivo de muitos grupos partidários, interessados em se manterem no poder e assim continuarem usando o povo como massa de manobra.

“Enquanto isso… em algum lugar desse imenso Brasil, a indústria da seca e muitas outras continuam operando a máquina à todo vapor“.

“Eh, ôh, vida de gado, povo marcado e povo feliz”. Zé Ramalho

Little Boy & Fat Boy – The Dark Angels

Há 68 anos atrás… em 6 de Agosto de 1945 Little Boy” despencou do céu, lançado de um avião bombardeiro B-29 entitulado Enola Gay. Hiroshima no Japão foi a primeira vítima de mais uma criação dos homens, a chamada “Bomba Atômica” durante a “Segunda Guerra Mundial“.
Três dias depois, os Estados Unidos lançaram “Fat Boy” uma segunda bomba atômica, dessa vez o alvo foi a cidade de Nagasaki.

Segundo os sobrevintes: ” Um verdadeiro inferno na terra”.

“O que é a vida para os Senhores da Guerra? Guerra Fria, Guerra Santa, Guerra… Não existe Paz na Guerra”.